CPDOC e o bairro de São Miguel de muitas histórias

Centro finaliza atividades no território com muitas ações registradas. 


O CPDOC São Miguel durante o ano de 2011 desenvolveu atividades que tiveram como foco principal a integração dos eixos temáticos: memória social, desenvolvimento local e sustentabilidade. Isso pôde ser observado durante as oficinas de fotografia, nas cartografias e expedições fotográficas realizadas no bairro de São Miguel que neste ano comemorou o seu 389º aniversário de fundação. 
Na programação dos festejos de aniversário, o CPDOC participou com três atividades que foram a Exposição fotográfica, a Expedição fotográfica Olhares e a apresentação de curtas Um Olhar sobre São Miguel em parceria com a programação cultural do CDC Tide Setubal.
A terceira edição da expedição fotográfica Olhares, ocorreu no último dia 17/09 em parceria com a Subprefeitura de São Miguel e o Fotoclube Ururaí, que teve como temas os espaços de ambiência para a manifestação cultural. Para Mauro Bonfim, coordenador da atividade, “A exploração e o inventário desses espaços que transformaram o bairro, narram a dinâmica de como as diferentes ações humanas e seus cultos formaram a história local e a paisagem urbana da região”.
A expedição contou com 18 expedicionários que participaram de um Workshop sobre os espaços visitados [veja abaixo] e a sua relação com o bairro e qual papel a fotografia pode desempenhar para a preservação dessas localidades, a partir de um olhar seletivo que dê conta das múltiplas dimensões encontradas nessas localidades, como espaço de rito, devoção, histórico, preservação cultural e ambiental.
A questão do não-lugar presente na vida contemporânea expôs um dos dramas das populações que habitam os grandes centros urbanos, foi tema da discussão durante o workshop e como essa relação interfere na condução de uma vida mais autêntica, intensificando a busca por novas experiências inclusive de ordem transcendental. 
A identidade foi outro tema abordado na atividade e como a fotografia pode contribuir por meio do registro a releitura desses ambientes como espaços para a compreensão das histórias e com isso criar o sentimento de pertença a população em geral.

Na rua em busca da história 
A expedição contou com o apoio logístico da subprefeitura de São Miguel que cedeu dois veículos para o transporte dos expedicionários durante todo o roteiro. A primeira localidade visitada foi a Mesquita Islâmica localizada na Vila Rosária em São Miguel, que tem como referencial ser a segunda maior do Brasil. O grupo foi recebido pelos membros da comunidade islâmica, os senhores Halen e Nasei Abbas, atual presidente da Associação para Divulgação da Cultura islâmica. Durante a visita os expedicionários fizeram fotos do interior da mesquita, conheceram um pouco mais da história e receberam material bibliográfico para compreenderem um pouco mais sobre as origens da religião. 



Em seguida o grupo partiu para a Fazenda Biacica, localizada no distrito do Jardim Helena, e foi incorporada ao roteiro de visitação nesta edição. A fazenda teve papel importante como local de paragens dos bandeirantes que remonta o século 17 [ver histórico no Almanaque: manifestações culturais. Os expedicionários puderam constatar a riqueza do local do ponto de vista histórico e ambiental, e, que atualmente se encontra abandonada em função da disputa judicial entre os proprietários e o poder público que manifesta o interesse em transformar a área em um núcleo do parque várzeas do Tietê.







Ao sair de lá, o grupo se dirigiu para o Parque Linear Vila Jacuí, que foi criado como forma de compensação ambiental pelas obras de ampliação da Marginal Tietê. Lá a expedição encontrou uma ocupação razoável da comunidade em função do calor que fazia naquela tarde de sábado. O que chamou atenção dos expedicionários foi a quase ausência de árvores no local por se tratar de um parque público.

E, para finalizar a expedição o grupo seguiu para a Capela de São Miguel, que teve iniciada a construção entre 1560 e 1580 e finalizada em 1622, e é considerada a edificação mais antiga de pé e que guarda a sua originalidade preservada.


Neste espaço o grupo teve a monitoria do jovem Vinicius que explicou ao longo de uma hora de visitação todo o processo de restauro, as escavações arqueológicas, os objetos encontrados, as imagens sacras restauradas e os aspectos históricos sobre a Capela no processo da formação do aldeamento de São Miguel de Ururaí atual São Miguel Paulista. 

Durante todo o percurso os expedicionários tiraram fotografias sem flash ­–procedimento adotado em todos os museus, com o foco dirigido para os detalhes das obras de arte dos diferentes períodos, inclusive para a pintura encontrada do período Jesuíta do século 16 que estavam encobertas pelos altares laterais do período Franciscano do século seguinte.


“Esta imagem tem sido considerada pelos pesquisadores com um exemplar mais antigo da arte paulista, ou seja, de uma inigualável importância histórica para o Estado e para o País” Afirma Bonfim. 
Ao final da expedição o grupo fez uma roda de conversa onde os participantes deixaram as suas impressões sobre essa viagem na história do bairro que teve inicio na história mais recente com a criação da mesquita islâmica, passando pela Fazenda Biacica do século 17 e chegando ao local da origem do bairro na Capela de São Miguel Arcanjo que foi construída pelos índios Guanaes sob os olhares do padre Anchieta. 
As fotos da expedição poderão ser conferidas na Exposição digital Olhares de São Miguel nos blogs do Foto clube Ururaí e Expedicionários de São Miguel, a partir do dia 24 de outubro até o dia 31 de Dezembro 2011. Informação sobre as localidades visitadas acesse o blog do Cpdoc São Miguel.

Participaram da expedição os seguintes fotógrafos:


Antonio Zilmar, Bianca Ramalho, Carlos Alberto Prata, Elizabete Farias, Evaristo dos Santos, Idevanir Arcanjo, José Anito, Juliana Magalhães, Katia Ramalho, Luciana Tonaki, Maria de Fátima, Maria de Fátima Pereira, Neusa Ribeiro, Thais Fernandes, Vander Ramos.

1 Comentário:

Escola José Honório Rodrigues disse...

Mauro e todos os "meninos" que passaram pelo CPDOC, parabéns pelo lindo trabalho que vocês realizaram em São Miguel, nossa região nunca mais será vista como um lugar "sem cultura"...sem história...Vocês fizeram história!E agora? Quem serão os próximos felizardos? Abraços... E obrigada.

Marli Viana

CPDOC São Miguel Paulista

Rua Mário Dallari, 170 Jd. São Vicente
CEP 08021-580 São Miguel Paulista SP - São Paulo - SP
Telefone (11) 2297 - 5969 - ramal 25

Fundação Tide Setubal

Rua Jerônimo da Veiga, 164 - 13° andar
CEP 04536-000 Itaim Bibi - São Paulo - SP
Telefax (11) 3168 3655
E-mail -
fundacao@ftas.org.br

CDC Tide Setubal

Rua Mário Dallari, 170 Jd. São Vicente
CEP 08021-580 São Miguel Paulista SP - São Paulo - SP
Telefone (11) 2297 - 5969

Creative Commons

Creative Commons License

O conteúdo deste blog está sob a licença: Creative Commons Atribuição-Uso Não-Comercial 2.5 Brasil License.

  © CPDOC São Miguel Paulista.

TOPO